Descongestionantes nasais são perigosos se usados sem indicação médica, podendo levar a sérios riscos para a saúde. Confira nossa reportagem na UPFTV sobre seu uso.

Higiene Nasal

Manter o nariz limpo é uma das principais formas de evitar infecções respiratórias.

Pouca gente sabe que manter o nariz limpo é umas das melhores formas de evitar infecções respiratórias, como a gripe. A higiene nasal também facilita o ato de respirar, já que o muco presente nas narinas pode dificultar a passagem de ar. O médico otorrinolaringologista Lucas Ludwig comenta que para manter o nariz limpo recomenda-se recorrer ao uso do soro fisiológico 0,9% e até mesmo utilizar a água quente do chuveiro para assoar o nariz.

“A higiene nasal é facilitada durante um banho quente pelo fato de o calor do vapor promover uma melhor consistência nas secreções nasais para a eliminação”, afirma Ludwig.

A água quente não provoca lesões no nariz, desde que não seja inalada ou aspirada. Segundo o otorrinolaringologista a água fria não é tão eficaz, mas tem sua utilidade. “A água fria não promove os mesmos efeitos sobre a mucosa nasal que a água quente, mas pode ser utilizada para a limpeza externa nasal e da área do vestíbulo nasal, ou seja, a área dos pelos nasais”, explica o especialista.

 Como assoar o nariz corretamente

Ludwig sugere cuidados na limpeza do nariz, já que assoar com muita força pode pressionar os vasos sanguíneos da região e provocar sangramentos.

“O melhor jeito é empurrar parte do muco suavemente para fora e deixar outra parte no nariz, já que a mesma ajuda a proteger o sistema respiratório”, esclarece o médico.

Outra forma de fazer a higiene nasal é a nebulização, apesar de produzir benefícios reduzidos na mucosa nasal.

“Ela é muito benéfica, mas deve ser realizada sempre com orientação médica, principalmente nos pacientes que possuem doenças respiratórias das vias aéreas inferiores, como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica”, aconselha Ludwig

 Cuidado com os descongestionantes nasais

Ludwig alerta para os riscos do uso contínuo de descongestionantes nasais que podem trazer dependência química e física, com repercussões sistêmicas como aumento da frequência cardíaca, da pressão arterial e até o risco de doenças cardiovasculares. “Em longo prazo, o uso de descongestionantes também pode elevar o risco de hipertensão.

Na mucosa nasal pode aumentar as chances de inflamação, fazendo com que se necessitem doses cada vez maiores do remédio para aliviar o desconforto, gerando um clico vicioso”, explica. Os descongestionantes podem ser utilizados sob prescrição médica, mas por períodos curtos, de no máximo de 3 a 5 dias.

Veja mais matérias com o D. Lucas Ludwig e acompanhe o blog.

Dr. Lucas Ludwig – Médico Otorrinolaringologista – CREMERS 31.883

Residência Médica em Otorrinolaringologia no Hospital Vera Cruz, Campinas-SP

Especialização em Rinologia na Universidade de Stanford, CA